quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Cães que procuram um dono - mesmo se for à distância

Conheça aqui as histórias de animais no nosso abrigo que procuram um dono, local ou à distância.

Para adoptar à distância, é suficiente uma pequena contribuição para assegurar a essas criaturas magníficas (todos os que os conheceram podem confirmar que não é uma simples opinião... eles são mesmo animais extraordinários) alimentos, água, remédios, abrigo da chuva e do sol e o carinho de nossa equipe local, bem como a esterilização e a assistência constante de veterinários.

Estes são Pina e Coelho, dois belos animais que chegaram até nós ainda filhotes, no início de 2009. Pina tinha sido atropelada por um carro, que feriu gravemente uma pata dianteira. Conseguimos salvá-la, mas infelizmente ficou um pouco defeituosa. Coelho foi assim chamada pela cor do pêlo, meio cinzento, que aqui é a cor dos coelhos. Chegou à SIMABÔ com sua mãe, Nakuka, e três dos oito irmãos de sua ninhada, que também foi a última, pois Nakuka, que já tinha parido pelo menos umas dez vezes, foi esterilizada durante a primeira campanha de 2009, em Abril.



Todas as pessoas que adotarem um animal serão incluídas em uma lista de discussão [ADOÇÃO SIMABO] onde se pode pedir notícias de seus protegidos e receber respostas em tempo real. Na lista de discussão aparece também, de vez em quando, a indicação dos voluntários que vêm para o abrigo e que podem eventualmente trazer pacotes ou lembranças para eles.

Pina convalescendo com a perna enfaixada, que nunca a impediu de se mexer, pular e correr, para ser apanhada e trazida ao colo. Pina tem outra característica que a distingue de todos os outros cães do abrigo: ela é terrivelmente chorona! Cada vez que alguma coisa a incomoda, faz uma grande cena, e agora ninguém mais a leva a sério!





Os donos à distância vão receber um certificado de aprovação, projectado por Andrea Musso, nosso ilustre gráfico, e serão incluídas lista de benfeitores do abrigo SIMABÔ. Musso é o autor das ilustrações do Dicionário Bilingue Criança/Cão – Cão/Criança (em breve disponível neste site para compra).

Coelho cresceu connosco, como suas duas irmãs, Oi Pret e Carla. Para todas elas é difícil encontrar dono, pois têm um tamanho um pouco acima da média, e em Cabo Verde muitas casas não têm muito espaço e além disso há os custos com a alimentação, por isso as pessoas preferem um cão de pequeno porte. Coelho é uma cadela um pouco "delicada”, sujeita a problemas de pele (talvez devido a algum tipo de alergia), que quando aparecem devem ser tratados imediatamente (apenas com dieta de peixe por alguns dias), para evitar que, coçando-se ela acabe por provocar uma infecção grave.

Agora, vamos apresentar as suas duas irmãs!

Se os donos à distancia desejarem, podemos fornecer fotos de quando o seu protegido chegou até nós, abandonado, doente ou acidentado. Não publicamos aqui essas imagens – muitas delas verdadeiramente assustadoras – para não ferir a sensibilidade dos leitores.

Oi Pret é uma das duas irmãs de Coelho, também hóspede do abrigo da SIMABÔ. Apesar de comer muito, não engorda de jeito nenhum. Tem um corpo realmente esbelto! Adotada uma vez, tivemos de retirá-la da família de acolhimento, e agora preferimos mantê-la connosco.









Para adoptar um animal à distância, você pode fazer uma doação de qualquer valor através de transferência bancária para a nossa conta em Cabo Verde (Banco Comercial do Atlântico-BCA, conta nº 79407984, SWIFT: BCA TC VCV, IBAN: 64000300007940798410176) ou para a nossa conta na Itália (IBAN: IT23 S033 5901 6001 0000 0009 584) ou ainda através cartão de crédito com o PayPal (através do endereço info@simabo.org).

A coisa mais bonita seria que um dia você pudesse vir a encontrar o seu novo amigo! Parece difícil? Não é. Com a nossa ajuda, pode organizar as suas férias em S. Vicente (com visita diária ao refúgio) da maneira mais simples e económica possível.

Carla é a versão “em carne” de Oi Pret: apesar de muito parecida com a irmã, pesa pelo menos dez quilos a mais. Mas as duas não têm em comum só a cor, mas também a “alergia” pelos novos donos... Apesar de ter sido adotada uma vez, por uma ótima família, sempre que podia escapava e vinha para o abrigo, e o seu dono vinha buscá-la todas as vezes. Bem, acabou por ficar connosco até hoje.



Para tentar explicar um pouco (o que é difícil...) como a vida acontece aqui no abrigo, leia o belíssimo depoimento da nossa voluntária Chandra Brondi, de Livorno, que como Elena, Daniele, Katya, Valentina, Anna Chiara, Alice e Yvette, e os muitos veterinários que vieram nos ajudar, quis dedicar as suas férias aos animais do nosso abrigo:

“Decidi partir para S. Vicente com a ideia de visitar um país que não conhecia mas não como uma simples turista e sim com o objectivo principal de dar uma ajuda... Amando muito os animais, o projecto de Silvia pareceu perfeito para mim, então decidi partir. Contudo, apesar de toda a informação recebida (muita), não era fácil imaginar a situação que fui encontrar, embora eu soubesse que Silvia e todas as pessoas que trabalham com ela fazem o possível e o impossível para ajudar os cães da ilha e os que vivem no abrigo da SIMABÔ.




Aqui estão Oi Pret e Zorro, que foi encontrado em frente ao Mercado do Peixe no Mindelo, com um caso grave de sarna. Depois de curado, ele continua no abrigo da SIMABÔ, pois é de tamanho grande e não encontra facilmente um dono.



... quando entrei no escritório da associação, fui sugada por uma confusão de rabos a abanar, olhos que me observavam, patas que queriam subir em cima de mim… Uma verdadeira bagunça!

No começo, eu não conseguia me concentrar muito bem. Mas com o passar dos dias fui acostumando, comecei a reconhecer os cães e a me recordar dos seus nomes… Daquela profusão de pêlos, pernas e rabos surgiram caracteres bem definidos, que me permitiram conhecer um por um, através dos seus olhos, das suas maneiras de fazer festas, de dizer-me que estavam contentes em me ver, se podíamos ir fazer um passeio…

Penso em Didì, Cenoura e Bebê, liderados por Hug… Malandros simpáticos que deixam os vizinhos malucos com as suas correrias. Os focinhos de Pina, Branca e Pitu, que surgiam de manhã, quando me viam chegar, para saudar-me com uma lambida. Penso em Missy, que aprendeu a saltar o muro e vai dar a sua volta, mas depois retorna! Em Ella, Marcela, Medusa e Coelho… lindas e com tanta vontade de viver…

Baster chegou na associação em condições absolutamente inacreditáveis. Ninguém, com excepção de Silvia e Nanda, acreditava que iria sobreviver, tal era o estado em que se encontrava. Agora, aí está, curado da sarna, com um porte altivo, apesar da extrema magreza. Nesta foto, em visita à Terrazza, para mudar de ares por alguns dias e começar a retomar o contacto com o mundo exterior, depois de um mês internado.


Lembro dos sarnentos Baster, Spike, Silvia e Paolo… que apesar da fragilidade, resistem, porque os viralatas são como carros com seis marchas! Zorro… educado e distinto como um verdadeiro senhor! Rocha, tão doce e merecedora de uma família toda sua. Carla, que foi adoptada por um rapaz que gosta muito dela… mas que continua a escapar para visitar seus amigos de quatro patas! Penso em Rex.. Seringa… Kemada… e tantos outros...

Silvia e Paolo, que chegaram na associação em condições inacreditáveis e agora estão quase curados. Continuam absolutamente inseparáveis. Depois de tantos anos na rua, já não querem sair nem mesmo para dar um passeio.

… apesar de tudo, apesar do que muitos deles tiveram de suportar antes de chegar à SIMABÔ, apesar de não terem verdadeiramente uma família e uma casa, penso que aqueles olhos que tanto me fizeram companhia por um mês inteiro são olhos felizes, não são olhos de cães resignados à vida de canil. São cães fortes, cheios de vitalidade, que não se rendem.

E eu estou orgulhosa de os ter conhecido.”




Este é Sarna Perna, chamado assim porque, além da sarna, tinha uma grande ferida numa perna. Fora recolhido durante a campanha de esterilização de Julho de 2009 mas o estado em que se encontrava era tão grave que não pode ser operado logo. Depois de o curarmos, foi esterilizado, mas como é já um pouco velho e tem um aspecto um pouco feroz, ninguém o quer. Está connosco!


Mas a luta continua! Volte a esta página um destes dias para conhecer outros animais, e sobretudo, os nossos gatos, que também aguardam por um dono. De perto ou à distância.

Sem comentários:

Enviar um comentário