sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Obrigado a todos!


Aproveitamos esta mensagem de fim de ano para agradecer especialmente a todos os funcionários locais pelo grande trabalho feito nestes três anos da associação e que nos permitiu alcançar resultados incríveis, em todos os níveis, tanto para aumentar a consciência dos cidadãos de São Vicente, eficiência e confiabilidade, como para ganhar o favor e reconhecimento de instituições locais e internacionais!

Obrigado a Nanda e a Ailton, a Tania e a Paolo, a Sonia e a Carla, a Cam Cam e a e todos os seus amigos, as crianças no bairro de Alto Solarinoque não foram deixados sozinhos, mesmo em tempos difíceis.

Obrigado a Rosa, a Tatiana e todas as domésticas actuais e que passaram antes pela Terrazza, elas também sempre prontas a ajudar com os animais. Obrigado a Lucy, Joanna e todos aqueles que no passado ajudaram com a limpeza do abrigo.

Obrigado, naturalmente, aos voluntários italianos, veterinários e não veterinários, que nos têm permitido oferecer um serviço de qualidade a todas as pessoas que procuram a SIMABÔ para curar seus animais de estimação e aos hóspedes do abrigo.

Obrigado aos muitos cidadãos de São Vicente que têm trazido os seus animais, demonstrando a cada dia a sua confiança e reafirmando a importância do serviço oferecido.

Obrigado a todas as famílias cabo-verdianas que adoptaram um animal, aceitando cuidar dele de forma especial. Obrigado também a todos os que adoptaram um animal à distância, e pelas suas palavras de encorajamento que tantas vezes nos ajudaram a nos sentirmos menos sós.

Obrigado à Delegação do Ministério da Saúde em S. Vicente pelo grande apoio que nos deu ao longo deste ano, ao Município de S. Vicente e às Forças Armadas de Cabo Verde pela ajuda prestada na arrumação da nova sede.

Obrigado a todas as pessoas que fizeram doações, em dinheiro ou em produtos, permitindo-nos manter aberto o refúgio, hospedar os veterinários e fazer este ano cerca de 300 esterilizações e tantas outras intervenções, inclusive a administração gratuita de antiparasitários na clínica no Mindelo e nas localidades de S. Pedro e Salamansa.

Obrigado de modo particular a Lamento Romeno, que permitiu a reestruturação da nova sede e desde o mês de Setembro contribuiu de forma contínua para as despesas de manutenção do abrigo.

Por último, mas não menos importante, obrigado a todos os amigos de Alexandria, Pinerolo, Florença, Bolonha, Roma, pelo tempo e a energia dedicados à SIMABÔ. Obrigado às rádios DeeJay, Gold e PNR pelo espaço que nos concederam para difundir o projecto.

Até amanhã, com fogos de artifício para saudar o ano novo!

sábado, 24 de dezembro de 2011

Feliz 2012!


A SIMABÔ deseja a todos os seus amigos e parceiros,
em Cabo Verde e no Mundo, um feliz 2012. 

E que continuem nos ajudando a fazer o nosso trabalho, para que o convívio entre seres humanos e animais possa ser mais digno, mais limpo, mais educativo, mais feliz. 

A nossa mensagem, nesta passagem de ano, é: 

Em 2012, mostre o que é ser humano:
adopte um animal, e cuide bem dele! 

Se precisar, a SIMABÔ ajuda.

sábado, 10 de setembro de 2011

Depoimento da Dra. Silvia Velletri, depois de duas semanas de trabalho intenso


A Dra. Silvia Vianello di Velletri prestou serviço voluntário no abrigo/ambulatório da SIMABÔ no passado mês de Junho, quando operou 110 animais em apenas duas semanas. Além da esterilização, fez várias outras intervenções cirúrgicas, como extracção de tumores mamários, entre outras.


Palavras da veterinária, em jeito de balanço: “A experiência com a SIMABÔ foi além de qualquer expectativa, de uma forma positiva é claro.”


Contudo, antes da partida, toda a informação trocada por e-mail sobre protocolos, o que fazer e não fazer, deixaram a médica um pouco preocupada. Tinha ficado claro que não se tratava de férias mas sim que era um grande compromisso “e que se não fôssemos capazes de lidar com o stress era melhor desistir”. De modo que a veterinária partiu para Cabo Verde não muito relaxada sobre se conseguiria fazer um bom trabalho. Mas tinha dado a sua palavra e disponibilidade.

Depois da chegada, os primeiros dias de trabalho, segundo ela, foram difíceis, pois as condições eram muito diferentes daquilo com que está habituada na Itália. Mas passada essa fase, começou a ver tudo com uma luz diferente. “Sendo capaz de ajudar cada dia mais e mais cães e gatos foi aumentando em mim o desejo de fazer mais e o cansaço e o medo foram desparecendo, de forma que os dias se passaram muito rapidamente”, diz.

“Se possível, eu não teria ido para casa tão cedo: nessas duas semanas tive mais satisfação que em 10 anos de trabalho na clínica, com os proprietários de cães que eu tive o prazer e a honra de tratar mostrando a sua gratidão, deixando-me literalmente sem palavras”, diz a Dra. Silvia Vianello di Velletri no seu depoimento.


“Não foi um mar de rosas, eu também encontrei proprietários que não se importam com seus animais, e trabalhar e visitar cães infestados (muito) de pulgas e carrapatos nem sempre é fácil e agradável.” Mas no final dessa temporada, o que a Dra. Velletri diz é: “Certamente no ano que vem eu vou fazer de tudo para voltar e espero não apenas por duas semanas!”.






sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Obrigado, Lamento Rumeno Onlus!




Boas notícias!

A SIMABÔ acaba de assinar um acordo de parceria com a ONG Lamento Rumeno Onlus (www.lamentorumeno.org). Essa parceria, permitirá à SIMABÔ ter fundos para a gestão do ambulatório-abrigo nos próximos três anos, o que permite libertar recursos para empregar as campanhas de esterilização.

Em Novembro do ano passado, a SIMABÔ conseguiu uma promessa do Município de São Vicente de interromper as campanhas de abate com veneno pelo menos até Agosto deste ano. Isto representa um grande passo nas negociações, mas é claro que essa promessa só poderá ser cumprida e o acordo respeitado quando as esterilizações estiverem a ocorrer em ritmo acelerado, caso contrário o número de animais vadios irá aumentar e, aos olhos das autoridades, o controle da população pela esterilização parecerá não estar sendo eficaz.

Para já, o apoio da Lamento Rumeno Onlus servirá para cobrir a nova sede, que já funciona como abrigo mas onde passará a funcionar também o ambulatório e salas para cirurgias, depois das obras e quando estiverem instalados os equipamentos.


SIMABÔ, e em particular Silvia Punzo, presidente, da SIMABÔ Cabo Verde, a Dra. Raineri, directora clínica, Paolo Manzoni, presidente di SIMABÔ Onlus, na Itália, e todos os hóspedes do abrigo agradecem do fundo do coração à Lamento Rumeno Onlus e a todos os seus doadores por este importante gesto de solidariedade.






Veja a informação completa em http://simabo.wordpress.com

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Por aqueles com quem ninguém se importa*

A SI MA BÔ - Associação para a Protecção dos Animais e do Ambiente “tem um propósito muito nobre: o de abrigar, alimentar e cuidar de animais de rua abandonados e que claramente sofrem e dão um mau aspecto às ruas do Mindelo, para além de todos os problemas de saúde pública que isso acarreta”.

A frase acima, extraída do artigo da Dra. Nídia Araújo sobre o respeito pela profissão de veterinário em S. Vicente, publicado recentemente em “A Semana”, reconhece bem o papel que vimos desempenhando.

Gostaríamos de lembrar que o nosso trabalho é, em grande parte, a sensibilização da população para cuidar dos animais, para que se importem com eles, não os abandonem nas ruas, se tiver um mantenha-o em casa. Através de actividades promovidas para o público infantil; através do incentivo à adopção e à posse responsável de um animal; de visitas aos núcleos urbanos da ilha de S. Vicente, levando a nossa mensagem e os nossos cuidados, estamos a trabalhar, no fundo, para a saúde e bem-estar dos seres humanos. É um longo caminho, cansativo e cheio de problemas a muitos níveis, mas toda viagem começa com um passo… E a resposta da população, das empresas e das instituições dá-nos força para continuar com muita fé e coragem.

Desde 2008 já realizamos gratuitamente mais de 600 operações de castração, de machos e fêmeas; conseguimos reduzir significativamente o número de animais doentes pelas ruas; procedemos regularmente à desparasitação gratuita e damos atendimento a animais acidentados que aparecem na nossa sede seja dia ou noite, fim-de-semana ou feriado.

A actuação da SI MA BÔ é supervisionada tecnicamente por uma clínica veterinária de Turim, Itália, que controla de forma rigorosa a aplicação dos protocolos de tratamento, os quais são baseados em análises laboratoriais de amostras recolhidas nos animais e levadas para a Itália para analisar, porque localmente não há condições para diagnóstico nesse nível. Temos um veterinário local responsável, Dr. Ermano Fontes Fermino de Pina, que foi o único que – depois de algumas tentativas, remuneradas, com outros profissionais – manteve-se disponível para trabalhar connosco e é muito bem considerado por muitos criadores de animais de São Vicente.

A nossa actuação tem sido reconhecida por faculdades de veterinária na Itália (Universidade de Turim e Universidade de Camerino) com quem temos parcerias; estamos em contacto com entidades oficiais ligadas à questão das zoonoses no Brasil; e várias importantes entidades cabo-verdianas reconhecem o nosso trabalho, com patrocínios e apoios. No momento, temos um importante projecto aprovado pela União Europeia que, a ser implementado, poderá resolver definitivamente o problema dos animais de rua de S. Vicente, criando um modelo exportável a todas as ilhas de Cabo Verde.

A razão porque fazemos desparasitação gratuita é criar ocasiões para explicar às pessoas que é importante castrar os animais (único método reconhecido pela OMS para reduzir as populações de cães e gatos), para tê-los saudáveis e diminuir o número de animais abandonados e doentes na ilha – objectivo principal da associação – e para acabar enfim com as matanças com veneno praticadas pelas Câmaras Municipais, que muitas vezes significam um fim doloroso e bárbaro também para animais com dono.

Outra razão porque oferecemos tratamentos gratuitos é para que os donos sejam estimulados a tratar seus animais de companhia correctamente. De momento, por razões económicas e falta de conhecimento, muitas pessoas tratam-nos em casa, com remédios e procedimentos perigosos ou ineficazes – é o caso de dar antibiótico durante um ou dois dias, analgésicos para uso humano e até óleo queimado para tratar a sarna, situações que podem matar um animal.

O pessoal que administra os medicamentos – comprados em Cabo Verde ou importados com as devidas autorizações – é muito bem formado na pequena área de actividade que desempenha: a desparasitação (algo que qualquer dono de animal devia fazer regularmente em casa), o tratamento das doenças parasitárias e os cuidados de animais acidentados até chegar um veterinário. Com grande amor pelos animais, fazem o máximo para oferecer um serviço de qualidade e orgulham-se da boa vontade e capacidade de aprender rápido e correctamente os protocolos. A eficácia dos protocolos e da sua aplicação é provada pelo sucesso obtido com centenas de animais nestes três anos de funcionamento da Associação.

Assim, diante da nossa enorme carga de trabalho, é de facto desejável que aqueles proprietários de animais que possam pagar os serviços de uma clínica veterinária e não querem castrar os seus animais ou até costumam lucrar com as crias, procurem esses serviços, deixando-nos mais tempo e energia, que bem precisamos, para aqueles pobres animais com quem ninguém se importa ou cujos donos são carenciados, animais que recebemos com amor e cuidamos com a máxima dedicação. Porque o nosso projecto – é bom frisar para que não haja dúvidas – é solidário, não comercial.


Silvia Punzo

Fundadora e Presidente da SI MA BÔ - Associação para a Protecção dos Animais e do Ambiente



* texto publicado no jornal "A Semana", a 08.07.2011, ao abrigo do direito de resposta.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Cães que procuram um dono - mesmo se for à distância

Conheça aqui as histórias de animais no nosso abrigo que procuram um dono, local ou à distância.

Para adoptar à distância, é suficiente uma pequena contribuição para assegurar a essas criaturas magníficas (todos os que os conheceram podem confirmar que não é uma simples opinião... eles são mesmo animais extraordinários) alimentos, água, remédios, abrigo da chuva e do sol e o carinho de nossa equipe local, bem como a esterilização e a assistência constante de veterinários.

Estes são Pina e Coelho, dois belos animais que chegaram até nós ainda filhotes, no início de 2009. Pina tinha sido atropelada por um carro, que feriu gravemente uma pata dianteira. Conseguimos salvá-la, mas infelizmente ficou um pouco defeituosa. Coelho foi assim chamada pela cor do pêlo, meio cinzento, que aqui é a cor dos coelhos. Chegou à SIMABÔ com sua mãe, Nakuka, e três dos oito irmãos de sua ninhada, que também foi a última, pois Nakuka, que já tinha parido pelo menos umas dez vezes, foi esterilizada durante a primeira campanha de 2009, em Abril.



Todas as pessoas que adotarem um animal serão incluídas em uma lista de discussão [ADOÇÃO SIMABO] onde se pode pedir notícias de seus protegidos e receber respostas em tempo real. Na lista de discussão aparece também, de vez em quando, a indicação dos voluntários que vêm para o abrigo e que podem eventualmente trazer pacotes ou lembranças para eles.

Pina convalescendo com a perna enfaixada, que nunca a impediu de se mexer, pular e correr, para ser apanhada e trazida ao colo. Pina tem outra característica que a distingue de todos os outros cães do abrigo: ela é terrivelmente chorona! Cada vez que alguma coisa a incomoda, faz uma grande cena, e agora ninguém mais a leva a sério!





Os donos à distância vão receber um certificado de aprovação, projectado por Andrea Musso, nosso ilustre gráfico, e serão incluídas lista de benfeitores do abrigo SIMABÔ. Musso é o autor das ilustrações do Dicionário Bilingue Criança/Cão – Cão/Criança (em breve disponível neste site para compra).

Coelho cresceu connosco, como suas duas irmãs, Oi Pret e Carla. Para todas elas é difícil encontrar dono, pois têm um tamanho um pouco acima da média, e em Cabo Verde muitas casas não têm muito espaço e além disso há os custos com a alimentação, por isso as pessoas preferem um cão de pequeno porte. Coelho é uma cadela um pouco "delicada”, sujeita a problemas de pele (talvez devido a algum tipo de alergia), que quando aparecem devem ser tratados imediatamente (apenas com dieta de peixe por alguns dias), para evitar que, coçando-se ela acabe por provocar uma infecção grave.

Agora, vamos apresentar as suas duas irmãs!

Se os donos à distancia desejarem, podemos fornecer fotos de quando o seu protegido chegou até nós, abandonado, doente ou acidentado. Não publicamos aqui essas imagens – muitas delas verdadeiramente assustadoras – para não ferir a sensibilidade dos leitores.

Oi Pret é uma das duas irmãs de Coelho, também hóspede do abrigo da SIMABÔ. Apesar de comer muito, não engorda de jeito nenhum. Tem um corpo realmente esbelto! Adotada uma vez, tivemos de retirá-la da família de acolhimento, e agora preferimos mantê-la connosco.









Para adoptar um animal à distância, você pode fazer uma doação de qualquer valor através de transferência bancária para a nossa conta em Cabo Verde (Banco Comercial do Atlântico-BCA, conta nº 79407984, SWIFT: BCA TC VCV, IBAN: 64000300007940798410176) ou para a nossa conta na Itália (IBAN: IT23 S033 5901 6001 0000 0009 584) ou ainda através cartão de crédito com o PayPal (através do endereço info@simabo.org).

A coisa mais bonita seria que um dia você pudesse vir a encontrar o seu novo amigo! Parece difícil? Não é. Com a nossa ajuda, pode organizar as suas férias em S. Vicente (com visita diária ao refúgio) da maneira mais simples e económica possível.

Carla é a versão “em carne” de Oi Pret: apesar de muito parecida com a irmã, pesa pelo menos dez quilos a mais. Mas as duas não têm em comum só a cor, mas também a “alergia” pelos novos donos... Apesar de ter sido adotada uma vez, por uma ótima família, sempre que podia escapava e vinha para o abrigo, e o seu dono vinha buscá-la todas as vezes. Bem, acabou por ficar connosco até hoje.



Para tentar explicar um pouco (o que é difícil...) como a vida acontece aqui no abrigo, leia o belíssimo depoimento da nossa voluntária Chandra Brondi, de Livorno, que como Elena, Daniele, Katya, Valentina, Anna Chiara, Alice e Yvette, e os muitos veterinários que vieram nos ajudar, quis dedicar as suas férias aos animais do nosso abrigo:

“Decidi partir para S. Vicente com a ideia de visitar um país que não conhecia mas não como uma simples turista e sim com o objectivo principal de dar uma ajuda... Amando muito os animais, o projecto de Silvia pareceu perfeito para mim, então decidi partir. Contudo, apesar de toda a informação recebida (muita), não era fácil imaginar a situação que fui encontrar, embora eu soubesse que Silvia e todas as pessoas que trabalham com ela fazem o possível e o impossível para ajudar os cães da ilha e os que vivem no abrigo da SIMABÔ.




Aqui estão Oi Pret e Zorro, que foi encontrado em frente ao Mercado do Peixe no Mindelo, com um caso grave de sarna. Depois de curado, ele continua no abrigo da SIMABÔ, pois é de tamanho grande e não encontra facilmente um dono.



... quando entrei no escritório da associação, fui sugada por uma confusão de rabos a abanar, olhos que me observavam, patas que queriam subir em cima de mim… Uma verdadeira bagunça!

No começo, eu não conseguia me concentrar muito bem. Mas com o passar dos dias fui acostumando, comecei a reconhecer os cães e a me recordar dos seus nomes… Daquela profusão de pêlos, pernas e rabos surgiram caracteres bem definidos, que me permitiram conhecer um por um, através dos seus olhos, das suas maneiras de fazer festas, de dizer-me que estavam contentes em me ver, se podíamos ir fazer um passeio…

Penso em Didì, Cenoura e Bebê, liderados por Hug… Malandros simpáticos que deixam os vizinhos malucos com as suas correrias. Os focinhos de Pina, Branca e Pitu, que surgiam de manhã, quando me viam chegar, para saudar-me com uma lambida. Penso em Missy, que aprendeu a saltar o muro e vai dar a sua volta, mas depois retorna! Em Ella, Marcela, Medusa e Coelho… lindas e com tanta vontade de viver…

Baster chegou na associação em condições absolutamente inacreditáveis. Ninguém, com excepção de Silvia e Nanda, acreditava que iria sobreviver, tal era o estado em que se encontrava. Agora, aí está, curado da sarna, com um porte altivo, apesar da extrema magreza. Nesta foto, em visita à Terrazza, para mudar de ares por alguns dias e começar a retomar o contacto com o mundo exterior, depois de um mês internado.


Lembro dos sarnentos Baster, Spike, Silvia e Paolo… que apesar da fragilidade, resistem, porque os viralatas são como carros com seis marchas! Zorro… educado e distinto como um verdadeiro senhor! Rocha, tão doce e merecedora de uma família toda sua. Carla, que foi adoptada por um rapaz que gosta muito dela… mas que continua a escapar para visitar seus amigos de quatro patas! Penso em Rex.. Seringa… Kemada… e tantos outros...

Silvia e Paolo, que chegaram na associação em condições inacreditáveis e agora estão quase curados. Continuam absolutamente inseparáveis. Depois de tantos anos na rua, já não querem sair nem mesmo para dar um passeio.

… apesar de tudo, apesar do que muitos deles tiveram de suportar antes de chegar à SIMABÔ, apesar de não terem verdadeiramente uma família e uma casa, penso que aqueles olhos que tanto me fizeram companhia por um mês inteiro são olhos felizes, não são olhos de cães resignados à vida de canil. São cães fortes, cheios de vitalidade, que não se rendem.

E eu estou orgulhosa de os ter conhecido.”




Este é Sarna Perna, chamado assim porque, além da sarna, tinha uma grande ferida numa perna. Fora recolhido durante a campanha de esterilização de Julho de 2009 mas o estado em que se encontrava era tão grave que não pode ser operado logo. Depois de o curarmos, foi esterilizado, mas como é já um pouco velho e tem um aspecto um pouco feroz, ninguém o quer. Está connosco!


Mas a luta continua! Volte a esta página um destes dias para conhecer outros animais, e sobretudo, os nossos gatos, que também aguardam por um dono. De perto ou à distância.